sexta-feira, 14 de outubro de 2011

ENTENDA A NOVA ORTOGRAFIA


 E o fato é simplesmente um: ninguém gosta dela, muitos discordam dela, outros sequer a admitem como acréscimo ou evolução, mas tão simplesmente como um grande e desnecessário quiprocó no universo das letras.
Gostando ou não, o período de convivência entre a norma antiga e as novas regras ortográficas chega ao fim no próximo ano e, como você bem deve saber, está mais do que na hora de ficar por dentro do assunto e, mesmo relutando, tentar entender e colocar em prática as mudanças.
Para ajudá-los nessa ingrata e difícil tarefa, aqui vão alguns sempre bem-vindos (palavra que continua sendo escrita assim, com hífen!) esclarecimentos.

O QUE É O NOVA REFORMA ORTOGRÁFICA DA LÍNGUA PORTUGUESA?

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa foi elaborado há 18 anos e só agora sai do papel para ser adotado a partir do ano que vem. O objetivo dessa reforma é sincronizar a ortografia de todos os países que falam português, acabando com as diferenças existentes entre eles.

Esse acordo atinge todos os países da Comunidade de de Países de Língua portuguesa, e já foi ratificado por Brasil, Portugal, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. Os demais países que ainda não ratificaram o acordo, na teoria, não fazem muita diferença e serão obrigados a usar o nova ortografia, uma vez que basta a assinatura de três integrantes da comunidade para se adotar uma mudança.

No Brasil, a partir de 2009, será adotada a nova ortografia e, entre 2010 e 2012, será o período de transição, onde tanto a ortografia antiga quanto a nova serão aceitas e, a partir de 2012, somente a nova ortografia será aceita.

O QUE MUDA NO BRASIL?

No Brasil, somente 0,6% (aprox) das palavras serão afetadas. Veja abaixo as mudanças:

TREMA
Deixará de existir em todas as palavras (ex: lingüiça será escrito como “linguiça”), com exceção para nome próprios

HÍFEN
Não será mais usado nos seguintes casos:
■Quando o primeiro elemento termina em vogal e o segundo elemento começa com uma vogal diferente (Ex: extra-escolar será escrito como “extraescolar”);
■ Quando o segundo elemento começar com r ou s. Nesse caso, a primeira letra do segundo elemento deverá ser duplicada (Ex: anti-social e contra-regra serão escritos como “antissocial” e “contrarregra”);

Outra regra para o hífen é a de incluí-lo onde antes não existia, nos casos em que o primeiro elemento finalizar com a mesma vogal que começa o segundo elemento (ex: microondas e antiinflamatório serão escritos como “micro-ondas” e “anti-inflamatório”.)

ACENTO DIFERENCIAL
Não se usará mais o acento para diferenciar:
■“pêra” (substantivo - fruta) e “pera” (preposição arcaica)
■“péla” (flexão do verbo pelar) de “pela” (combinação da preposição com o artigo)
■“pára” de “para” (preposição)
■“pêlo” de “pelo” (combinação da preposição com o artigo)“pólo” (substantivo) de “polo” (combinação antiga e popular de “por” e “lo”)

ACENTO CIRCUNFLEXO
Deixará de existir em:
■palavras que terminam com hiato “oo” (Ex: vôo e enjôo serão escritos como “voo” e “enjoo”)
■terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos dar, ler, crer e ver (ex: Lêem, vêem, crêem e dêem serão escritos como “leem”, “veem”, “creem” e “deem”)

ACENTO AGUDO
■Será abolido em palavras terminadas com “eia” e “oia” (ex: idéia e jibóia serão escritos como “ideia” e “jiboia”.
■Nas palavras paroxítonas, com “i” e “u” tônicos, quando precedidos de ditongo. Exemplos: “feiúra” e “baiúca” passam a ser grafadas “feiura” e “baiuca
■Nas formas verbais que têm o acento tônico na raiz, com “u” tônico precedido de “g” ou “q” e seguido de “e” ou “i”. Com isso, algumas poucas formas de verbos, como averigúe (averiguar), apazigúe (apaziguar) e argúem (arg(ü/u)ir), passam a ser grafadas averigue, apazigue, arguem.

ALFABETO
O alfabeto agora contará com as letras “k”, “w” e “y”, somando um total de 26 letras

DUPLA GRAFIA

Apesar de ser um acordo entre os países que falam português, essa reforma ainda permitirá a dupla grafia de palavras que são pronunciadas com entonação diferente em diferentes países.
No Brasil, por exemplo, fenômeno se escreve com acento circunflexo, enquanto em Portugal se usa o acento agudo (fenómeno), e além de escrita de forma diferente é também pronunciada de forma diferente. Em casos como esses, serão aceitas ambas as grafias.

GUIA DA NOVA ORTOGRAFIA

Você pode baixar um guia completo com as novas regras ortográficas, gratuitamente, clicando AQUI.

2 comentários:

Emerson Felipe disse...

Parabéns pela iniciativa de apresentar a todos as mudanças ortográficas ocorridas em nossa Língua. Texto de utilidade pública, tanto para o cidadão comum e estudantes, como para nós, blogueiros de plantão e profissionais que fazem da Língua Portuguesa a sua principal ferramenta de trabalho, como os advogados.
Excelente, Daniel Vícola!

Prof. Daniel Vícola disse...

Obrigado, Emerson!
O blog existe para proporcionar esclarecimentos e conhecimento a todos os seus visitantes.
Fico feliz que o objetivo se cumpra e que as pessoas usufruam do nosso cantinho.
Grande abraço.

Daniel.